NO AR
TOCANDO
EM DOURADOS
04/08/2022 11h30min - Mato Grosso do Sul
7 dias atrás

Projeto resíduos sólidos realizado pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul

incentivar a cultura da reciclagem é o caminho para ampliar bons resultados

Governo MS ► 

Redação / comercial@grandefm.com.br
Fonte: Grande FM


A quem separa e descarta corretamente os resíduos, temos um chamado à ação: que tal compartilhar essa rotina com o maior número possível de pessoas para ensinar como é esse processo e incentivar a comunidade a agir de forma mais sustentável?

A reciclagem é uma atividade coletiva. Para que a cadeia funcione de forma eficiente, todos precisam cumprir com suas responsabilidades. No âmbito da separação e descarte de resíduos domiciliares, quanto mais pessoas aderirem a esse propósito, melhor o resultado. E é por isso que precisamos construir uma comunidade coesa e unida em garantir que nenhum material reciclável seja descartado de forma incorreta, encurtando sua vida útil.

Se você mora em um condomínio que ainda não tem coleta seletiva, converse com o síndico ou o administrador para implementar esse processo. Abrace essa causa, afinal, imagina a quantidade de recicláveis que um prédio residencial pode gerar todos os dias? Para funcionar, existem algumas opções. Entre elas, a gestão do espaço pode disponibilizar um local adequado para a separação – o que pode ser feito em uma sala específica ou em contentores grandes de lixo – e entrar em contato com uma cooperativa de triagem para combinar a coleta periódica.

Por outro lado, quando você mora em uma casa instalada em um bairro onde a coleta seletiva porta a porta ainda não foi implementada pela prefeitura municipal, pode tentar fazer um acordo com os vizinhos. A ideia é entrar em contato com uma cooperativa instalada por perto e combinar a retirada dos recicláveis. Na sequência, solicitar ao maior número possível de moradores locais para separar e armazenar esses itens diariamente até a data acertada para a coleta. Quando higienizados antes do descarte, os recicláveis não geram odor e nem atraem insetos ou outros animais. É um resíduo que pode ser guardado por bastante tempo sem preocupações.

Por fim, não temos como não citar a separação e o descarte adequados no ambiente de trabalho. Claro que não estamos nos referindo a resíduos especiais, como os industriais e hospitalares, mas sim aos itens descartados nos escritórios e espaços administrativos.

Ajude a criar mecanismos para que os resíduos gerados durante o expediente também sejam separados. Pensemos em um espaço profissional repleto de papeis e embalagens. É muito importante que tudo isso seja devidamente descartado. Para isso, a estratégia de inserir dois coletores distintos, um ao lado do outro, para recicláveis e não-recicláveis é um passo simples que gera grandes resultados. Mas não se esqueça de verificar se a coleta seletiva terá continuidade. Você pode verificar esse ponto diretamente com o departamento de recursos humanos.

Dessa forma, com pequenas atitudes e mudanças de hábitos cotidianos, conseguimos contribuir para que a cadeia de reciclagem cresça exponencialmente no nosso país. Faça parte desse movimento! 

Fonte:- Conteúdo produzido pelo “Projeto Resíduos Sólidos – Disposição Legal” realizado pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul (CAOMA/Núcleo Ambiental), Tribunal de Contas Estadual, SEMAGRO do Governo do Estado e UEMS. Este Projeto visa buscar alternativas para extinção dos lixões e implementação da Lei de Resíduos Sólidos no Estado, em especial desenvolvendo soluções consorciadas benéficas para toda a sociedade estadual.



•  

Grande FM
Publicada em:

Usamos os cookies e dados de navegação visando proporcionar uma melhor experiência durante o uso do site. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.